O poder do cheiro na vida humana

Embora desvalorizado, o olfacto é um dos sentidos mais poderosos que possuímos

O ser humano é capaz de perceber mais de 10 mil diferentes odores, cada um deles definido por uma estrutura química diferente. O olfacto é dos primeiros sentidos a ser desenvolvido: a cavidade nasal do bebé começa a funcionar na 9ª semana da gravidez e na 13ª semana os nervos olfactivos (que formarão posteriormente o nariz) já estão conectados ao cérebro. Após o nascimento, o cheiro desempenha um papel fundamental nas nossas vidas, apesar de ser menosprezado, por comparação aos restantes quatro sentidos.

 

O cheiro e o perigo

O olfacto fornece-nos um sistema de alerta face a objetos ou situações potencialmente perigosas. Neste sentido, existem certos odores que todos consideramos desagradáveis, pois advertem-nos para perigo como, por exemplo, o cheiro a fumo ou o cheiro a comida deteriorada.

 

O cheiro entre mãe e bebé

Um estudo publicado na revista Frontiers in Psychology refere que o cheiro do bebé funciona como compensação sensorial para as mães, ao motivar a atividade cerebral da mão através da criação de dopamina, a substância responsável pelas sensações de prazer, recompensa e bem-estar. Ao longo dos nove meses de gravidez, o organismo da mãe é programado para se vincular ao bebé, tanto a nível físico como psicológico. O olfato tem uma importância muito elevada na formação deste vínculo entre mãe e filho, pois é através dele que ambos se reconhecem. Além disso, permite perceber o seu estado de saúde, visto que algumas doenças alteram o suor e o hálito, interferindo com o odor corporal.

 

O cheiro e a saúde

O odor corporal pode alertar-nos para o nosso estado de saúde, já que algumas doenças afetam-no diretamente. Por exemplo, quando estamos sob stress, as glândulas apócrinas localizadas nas axilas produzem mais secreções nas, provocando um aumento da transpiração e do odor corporal.

A transpiração excessiva é também uma condição patológica, denominada hiperidrose, na qual o indivíduo sua excessivamente de forma imprevisível, mesmo sob temperaturas baixas. Existem tratamentos disponíveis não invasivos para o tratamento da hiperidrose e do odor corporal. O miraDry® é o único sistema não invasivo para o tratamento da hiperidrose e transpiração excessiva que recebeu certificações da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos para a redução do odor e eliminação do suor axilar.

 

O miraDry® é por isso o primeiro e único dispositivo distinguido pela FDA para o tratamento não invasivo da hiperidrose e redução do odor axilar.

O PalmaDry® é uma solução destinada em exclusivo ao tratamento de hiperidrose palmar e plantar (consideradas as de mais difícil tratamento) e consiste na aplicação de uma corrente elétrica de baixa intensidade que induz à inacção destas glândulas sudoríparas. O PalmaDry® é um dispositivo de utilização pessoal, que permite ao paciente fazer o tratamento em casa.

O cheiro e a memória

O olfato está intimamente ligado à memória, provavelmente mais que qualquer outro dos sentidos. O sistema límbico, constituído por um conjunto de estruturas localizadas no cérebro e envolvido no controlo da emoção, comportamento e memória, é também responsável por receber os sinais enviados pelo bulbo olfativo (narinas), fazendo-os chegar ao cérebro. O ser humano regista assim um grande histórico de aromas, fragrâncias e odores, relacionando-os com indivíduos, locais ou situações, algo a que habitualmente se denomina “memória olfativa”.

O cheiro e a emoção

O olfato é um sentido altamente emocional, tendo a capacidade de nos evocar as mais variadas emoções. Grande parte da nossa resposta emocional ao cheiro é guiada por uma associação, algo corroborado pelo facto de pessoas diferentes poderem ter perceções completamente distintas do mesmo cheiro. Considere o perfume, por exemplo: uma pessoa pode considerar uma marca particularmente “poderosa” e “aromática”, enquanto outra a descreve como “avassaladora”, “doentia” e “nauseante”.

 

O cheiro e a atração

O cheiro é extremamente importante na atração entre duas pessoas. O odor corporal tem um impacto subconsciente na escolha do parceiro, graças às feromonas, os sinais químicos responsáveis pela atracção. As feromonas são naturalmente libertadas através do suor, urina, pele e saliva e ativadas ao receber estímulos sexuais de outra pessoa.