Dinamarca – O terceiro país com o melhor Sistema de ensino

O QUE NOS CONTAM OS LEITORES

Sara Nunes, uma jovem estudante, esclarece e pretende ser útil a todos os jovens que nos lêem e fala-nos em pormenor sobre o local onde vive e estuda:

Dinamarca – O terceiro país com o melhor Sistema de ensino

O meu nome é Sara Nunes e estudo engenharia informática na VIA UC, Dinamarca e trabalho numa
empresa internacional, já fez 1 ano que comecei os meus estudos e 10 que comecei a minha carreira
profissional.

Eu escolhi estudar no estrangeiro devido às oportunidades de trabalho. Descobri que era possível
estudar gratuitamente em alguns países da Europa, como a Dinamarca, Noruega e Escócia.

Depois de muita pesquisa escolhi a Dinamarca. Porque para além do ensino ser gratuito mas porque tem
um dos sistemas de Ensino. Também é possível trabalhar ao mesmo tempo que estudamos e ser
completamente independente. Alem disso, é considerado o país mais feliz do mundo e porque é um país
lindo, rodeado de mar e paisagens maravilhosas.

Depois de terminar os meus trabalhos, candidatei-me a várias universidades diferentes na Dinamarca e
levou-me para a VIA e assim comecei a minha aventura. Gostaria de partilhar algumas dicas importantes
que me ajudaram muito e espero que sirvam para outras pessoas que queiram estudar no estrangeiro,
seja na Dinamarca ou noutro país.

Alojamento

Desde que recebi uma resposta no início de agosto, tive cerca de 1 mês para me preparar. Tive há
procura de quartos e trabalhos antes de ir mas quando saí de Portugal sem ter uma casa para viver,
quando cheguei fui ver os quartos que tinha encontrado na internet, em grupos do facebook e sites de
imobiliárias. Acabei por encontrar uma família que procurava uma “aupair” e eles quiseram que me
mudasse no dia a seguir. Eu encontrei muitas imobiliárias. Neste ponto, os grupos do Facebook que
encontrei (e são muitos) ajudaram-me e muito. Arranjei trabalho pelo site e alojamento. Os grupos do
Facebook têm tudo. Literalmente. E temos mesmo que contactar pessoas e não ter medo de pedir ajuda
e “fazer-se” ao mundo. Isto tudo ensinou-me a sair da minha zona de conforto.

Educação

A formação na Dinamarca é totalmente gratuita para todos os cidadãos da UE para além de livros e
software necessário para os estudos. A minha Universidade é muito moderna e tem um nível de ensino
muito prático, excelentes salas de aula, áreas de convívio, bibliotecas e dormitórios para estudantes.
Tem vários cursos em Inglês, pelo que há um ambiente muito multicultural.

Para me candidatar precisei de completar um exame de inglês académico com nota alta, o diploma de
ensino secundário, o CV e uma carta de motivação e de referência. Parece muito mas isto acontece
porque para a Dinamarca não é apenas a media que conta mas sim a pessoa em si e o que esta fez e
quer fazer.

Trabalhar

Estudantes na Dinamarca podem trabalhar a part time, com muitas oportunidades de trabalho em
diferentes áreas. Curiosamente, arranjei um trabalho numa área totalmente diferente da minha,
Marketing, na Trendhim. A minha empresa contratou estudantes internacionais que vêm de 18 países
diferentes.
Os trabalhos aqui também são muito bem remunerados. Eu trabalho cerca de 44 horas por mês – o que
me permite ganhar uma bolsa para estudantes trabalhadores no valor de cerca de 800€ por mês
chamada SU.

Vida social e estilo de vida

Eu não vivo numa cidade muito grande, mas está cheia de jovens e internacionais. Bares e cafés não
faltam, assim como lojas. Há muitas atracções e museus na cidade que podem ser visitados, e também
vários eventos e concertos. Costumamos ir à praia ou fazer um churrasco. Vamos a todo o lado com a
bicicleta e adoramos descobrir novos sítios e a natureza. A minha cidade é super limpa e organizada, tanto que conduzir aqui é um total sossego e paz. O Sistema de saúde é gratuito e acessível a todos,
inclusive internacionais.

Idioma

Os dinamarqueses falam Inglês muito bem, pelo que a língua não foi um problema. Apesar disso, o
governo oferece aulas grátis de dinamarquês e eu estou a aprender a língua pois acho importante para o
futuro, se quiser continuar a viver na Dinamarca e para integrar-me ainda melhor.