Opinião

O Femicídio nas relações conjugais

Hoje ouvi pela primeira vez na RTP 3 alguém a referir-se à violência doméstica e ao femicído. Reconheço ter inicialmente ficado intrigado e posteriormente, depois de ter percebido pelo contexto da frase o significado deste estranho vocábulo, fiquei zangado com estes destruidores da língua portuguesa em busca do politicamente correto, que fruto dum feminismo exacerbado, importam vocábulos da língua inglesa para a portuguesa, que não aportam, em meu entender, nada de novo e de substantivo.

É insano, descabido, despropositado, para tentar ser bem-educado, importar novos vocábulos esdrúxulos, anglicismos estranhos na língua portuguesa, pois a título de exemplo, normalmente quando falamos de direitos do Homem, falamos dos direitos do homem e da mulher, assim como quando falávamos de homicídio, falávamos de homicídio de homens e de mulheres.

Por esta nova ordem de ideias, qualquer texto passará a ser longo e ininteligível, pois como me ensinaram ainda na primária, há substantivos que só têm um género.

Nesta nova insanidade vou escrever um pequeno texto em português, usando esta nova e errada, em minha opinião, forma de falar e escrever de forma politicamente correta.

No ano de 2020 houve vários homicídios e femicídos, em contexto de violência doméstica, nomeadamente de portugueses e de portuguesas, sendo necessário estudar o assunto em termos sociológicos, não sendo despiciendo, em minha opinião, que este fenómeno esteja relacionado com a convivência forçada de Homens e a Mulheres, fruto dum confinamento forçado devido à Pandemia.

Os legisladores e legisladoras portugueses e portuguesas, vão ter de modificar o código penal e, enquanto isso não acontecer os magistrados e as magistradas deste país vão ter de anular os processos e as penas relativas a femicídios, por ser um crime que não consta no nosso Processo Penal.

As frases ficam desnecessariamente longas, não aportando nenhuma informação complementar, tornando-se além dum erro uma desnecessidade.

Nuno Pereira da Silva
Coronel de Infantaria na Reserva

Acerca do autor

Nuno Pereira da Silva

Nuno Pereira da Silva

Coronel de Infantaria na Reserva

Adicionar comentário

Clique para comentar