TAÇA DE HONRA DA A.F.L. 2015/16 já não se realiza

SUSPENSÃO DA EDIÇÃO 2015/2016 DA TAÇA DE HONRA DA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LISBOA (A.F.L.)

A Comissão Coordenadora da Taça de Honra, constituída pela Associação de Futebol de Lisboa (A.F.L.) e pelos 4 (quatro) Clubes participantes (Sport Lisboa e Benfica, Futebol, S.A.D., Sporting Clube de Portugal – Futebol, S.A.D., “Os Belenenses” – Sociedade Desportiva de Futebol, S.A.D. e a Estoril Praia – Futebol, S.A.D.), garantiu, atempadamente, e por comum acordo de todos os intervenientes, a realização da edição de 2015/2016 da Taça de Honra.

Nesse contexto, ficaram, desde logo, designados os dias 16 e 18 de Julho de 2015, no Estádio do Restelo, para a realização de tão prestigiada prova do calendário futebolístico português, bem como foi lançado o respetivo concurso público para a concessão de direitos televisivos, publicidade estática e naming da prova em questão.

Os 4 (quatro) Clubes participantes acordaram e decidiram que se deveriam fazer representar, na Taça de Honra, com as suas principais equipas técnicas, bem como com, pelo menos, 6 (seis) jogadores constantes das respetivas fichas de jogo da temporada transacta.

No decurso do processo organizativo da Taça de Honra 2015/2016, a Comissão Coordenadora da mesma tomou conhecimento que 1 (um) dos Clubes participantes – Sport Lisboa e Benfica, Futebol, S.A.D. – não reunia as condições regulamentares de participação.

Nesses termos, a Associação de Futebol de Lisboa (enquanto membro da Comissão Cordenadora da Taça de Honra), propôs que a edição de 2015/2016 fosse suspensa, por não estarem reunidas as condições regulamentares exigidas para a prova.

Com efeito, quando a Direção da Associação de Futebol de Lisboa (A.F.L.) decidiu recuperar a realização da histórica Taça de Honra, fê-lo com 3 (três) intenções:

  1. a) Recuperar a realização da Taça mais antiga do futebol português, a qual teve uma história rica, alcançando um assinalável prestígio, empolgando, ao longo de décadas, milhares e milhares de adeptos e que servia de montra a muitas épocas futebolísticas.
  2. b) Realizar, todos os anos, uma prova com uma grande dimensão desportiva e que atraísse os adeptos do desporto rei.
  3. c) Potenciar financeiramente os Clubes, com uma prova que auxiliasse a tesouraria dos Clubes participantes e de todos os Clubes do futebol não profissional do distrito de Lisboa (recorde-se que, na edição de 2013/2014, a Taça de Honra teve uma receita muita próxima do meio milhão de euros).

Pelo que, atentos os objetivos atrás anunciados e enumerados, não poderia a Associação de Futebol de Lisboa (A.F.L.) permitir que os Clubes participantes, qualquer um que fosse, desvalorizasse tão prestigiada prova, recorrendo às suas equipas B. Assim, a proposta da Associação de Futebol de Lisboa (A.F.L.) foi aceite e a Comissão Coordenadora da Taça de Honra deliberou, por unanimidade, suspender a edição de 2015/2016 da Taça de Honra da Associação de Futebol de Lisboa (A.F.L.).

A Comissão Coordenadora da Taça de Honra deliberou, ainda, constituir um Grupo de Trabalho, composto pelos 4 (quatro) Clubes participantes e pela própria Associação de Futebol de Lisboa (A.F.L.), com o intuito de ser discutido o formato da prova e eventual alteração da sua calendarização para futuras edições.

Aos adeptos do futebol e, designadamente, da Taça de Honra, a Comissão Coordenadora da mesma deixa uma palavra de agradecimento por terem apoiado, desde sempre, esta prova e uma mensagem de certeza de que esta prestigiada competição voltará em breve.

A Comissão Coordenadora da Taça de Honra