Economia Uncategorized

SER “NAIF”…

INGÉNUO.

Milhões de euros, anunciados e badalados, tantos, e tantas vezes que, tristemente, a mim já não me dizem nada.

Qualquer ministro fala em Milhões para apoios, para os prejuízos do Virus, e para alavancar a economia. E muita gente acredita. Só para a imprensa são mais tantos…Vamos ver.-

Mas eu que já “sou velho” publiquei logo:


Aposto que não vou conhecer ninguém… ou qualquer um dos meus amigos venha a receber um tostão desses Milhões todos que serão umas quantas carruagens de um grande comboio cheio de dinheiro.

Voltando na máquina do tempo, muitos anos atrás sempre falaram grosso e sou do tempo da CEE e dos Milhões que vinham ou chegaram a vir para alguns…depois veio a moda dos projectos económicos, era melhor que o totobola…saía sempre. Confesso a mim saiu sempre do meu bolso, mas entrar NUNCA:

Pagava-se de 500 contos a 1500 contos, depois em euros e pagava-se ao gerente do banco que aprovaria o estudo que um amigo (dele) fazia….mas o pagamento era na hora…receber seria a prazo. Nunca recebi, mas paguei.

Depois apareceu o SIII (dizia esse três is) outra treta. Fiquei com um estudo de muitas folhas encadernado… depois veio outra vez a moda dos estudos ou projectos económicos e desta vez traziam a assinatura da ACISM e logicamente uma lufada de seriedade. Lá acreditei paguei pouco …e foi aprovado. Isso mesmo- dar a mão à palmatória…Afinal a coisa pode ser verdade…

ERA mas não foi. Paguei o estudo à ACISM preço justo…mas a pasta do estudo a entregar no Fundo do Desemprego tinha uma folha no inicio assinada pelo presidente da Câmara, onde garantia o interesse do projecto, etc …  e outra carta no final do estudo também em acordo com o presidente da Câmara, que finalizava o processo.

 Dado a aprovação do estudo/projecto . Iniciavam-se os gastos de acordo com um percentual do valor total do projecto e no final da papelada toda entregue, haveria o cheque final…mas não houve. Chamem azar ou a tal ingenuidade. De facto, tudo correu bem até à entrega final da tal e ultima carta da Câmara.  Não houve carta nenhuma…o tempo foi passando e como o caso não se resolveu, tive que devolver os milhares de euros que tinha recebido em avanço.

Ainda aluguei um espaço legalizado para indústria durante um ano, despesas extras do projecto para evitar a dependência da câmara, mas o tempo da duração da distribuição das verbas terminou, dando direito a novos e diferentes concursos para projectos…e assim a tristeza da incapacidade de solução é a única saída para tal dilema. Mesmo com advogados e muitas alternativas o resultado é infelizmente o mesmo…Toma e vai-te curar.

Quem está por baixo, até os cães lhe mijam em cima.

Prejuízos enormes, e a resignação de acreditar em falsas promessas. Isto é um facto. Hoje os casos e os actores são os mesmos neste circo de Milhões. Os nomes são diferentes, quem decide serão outros mas os princípios são exactamente os mesmos.

Mas gostava de saber, ou ver, uma lista do nosso , e de todos os Concelhos, só por curiosidade saber quem recebeu e quantos Milhões…O leitor não tem também curiosidade em saber?

Helder Martins

Tags