Relacionamento entre “O ERICEIRA”, sua filha Mariana e Júlio César Machado

“Coisas e factos históricos”

Relacionamento entre Francisco José da Silva-“O ERICEIRA”, sua filha Mariana e Júlio César Machado

Por Toly Filipe

Aqui deixo os factos e entretenham-se com as coincidências, correndo o risco de estar a publicar dados e conclusões já do conhecimento público e talvez já anteriormente divulgados.

Júlio César Machado (1835-1890) publica um livro em 1871, intitulado “Da Loucura e das Manias em Portugal”.

No II Capítulo, “As Doidas”, é descrito na parte final um encontro com uma menina de cerca de 20 anos que transcrevo:

“Uma menina, que deve ter vinte anos, aparece à porta de um quarto onde estão algumas mais tranquilas a costurar e a fazer crochet. Olha para mim fixamente e como esperando que eu lhe fale. O diretor vendo isso, pergunta-lhe se me conhece.

—Parece-me que conheço, responde ela.

O diretor diz-lhe o meu nome.

—É isso mesmo; já vi o retrato n’um livro

É da Ericeira, esta menina; muitas das leitoras se lembram talvez dela, e toda a gente que ali tem ido a banhos lhe conheceu o pai,—o chamado Ericeira, o capitão Ericeira, que morreu há poucos meses. Nos fins do último outono procurou-me uma manhã um homem baixo, vermelho, atochado, de cabeça grande, sobrancelhas fartas, perna curta, tronco forte, espécie de Han de Islândia em velho; trazia uma carta do meu amigo Augusto Tallone, que mo apresentava dizendo que por ter lido um folhetim meu a respeito da Ericeira ele quisera conhecer-me;—era o pobre capitão. Conversámos um pouco de tempo; ele falava com dificuldade. Agradeci-lhe o favor da sua visita e despedimo-nos até o verão, na idéia de que eu fosse á Ericeira este ano; morreu três meses depois, coitado, e agora fui encontrar a filha em Rilhafoles!…

A pobre menina ……….”

Será muita coincidência ser filha do Francisco José da Silva, (1800-1871) já várias vezes referenciado, conhecido como O ERICEIRA, sendo o último Presidente da Câmara da Ericeira?

Presumo que sim, com um grande grau de certeza, face aos dados a seguir expostos e confirmados:

1. O livro é editado em 1871;

2. O Verão a que Júlio César Machado se refere é o de 1870, sendo que O ERICEIRA morre 3 meses depois, isto é, em Janeiro de 1871;

3. Serão então os descritos no livro o próprio ERICEIRA e a sua filha ?

4. Tudo leva a crer que sim, pois de acordo com os registos existentes e referente ao internamento em Rilhafoles (posteriormente Hospital Miguel Bombarda), há o historial de uma doente, de seu nome Mariana Cândida da Silva Franco, admitida com 29 anos, solteira, em 02 de Dezembro de 1865, tendo lá falecido em 11 de Maio de 1891;

5. Consta ainda do registo de Rilhafoles, o local de residência na Ericeira e o nome do pai, Francisco José da Silva Ericeira, sendo omisso o de sua mãe (Maria Salomé da Silva Franco).

6. De acordo com o registo de batismo de 05FEV1837 terá nascido na Ericeira em 20JAN1837:

Face aos dados, podemos presumir, salvo melhor opinião, que o texto do livro de Júlio César Machado se refere à filha do ERICEIRA, pecando só a avaliação do escritor no respeitante à idade aparente de 20 anos.

pag1

pag2

pag-3

pag-4