Opinião

Querem acabar o Natal por decreto

Estou a ficar preocupado, deveras preocupado, com o início da campanha contra as celebrações do Natal, que se iniciou já em meados de Outubro, e curiosamente liderada por Marcelo Rebelo de Sousa.

É estranho, muito estranho, os miúdos poderem ir à escola com cerca de trinta alunos por turma e o problema da transmissão do Covid 19, serem as reuniões familiares e as festas dos jovens, que não devem ter mais de 10 pessoas. Não compreendo, nem consigo compreender a lógica de se poderem ir a algumas manifestações culturais e, não se poderem ir às manifestações desportivas.

O problema é a ausência total de lógica, que faz com que mesmo os não negacionistas, ponham em causa algumas medidas.
Por favor sejam lógicos, coerentes e deixem-se de proibições casuísticas, erráticas e direcionadas a acontecimentos identitários, culturais e religiosos como é o caso do Natal.

As festas e manifestações de carácter religioso, são parte da tradição judaico- cristã, fundamental na formação duma identidade europeia e uma das pedras-base da nossa Civilização Ocidental.

Nuno Pereira da Silva
Coronel de Infantaria na Reserva

Tags

Acerca do autor

Nuno Pereira da Silva

Nuno Pereira da Silva

Coronel de Infantaria na Reserva

Adicionar comentário

Clique para comentar