Opinião

Ideologias à parte, tratem os doentes

Agora que a segunda vaga da Pandemia começa a alastrar pela Europa e por Portugal, está na hora de cá pelo burgo, termos aprendido qualquer coisa com o que se passou na primeira vaga, e deixarmo-nos de ideologias marxistas e olhar para o Sistema Nacional de Saúde de uma forma integrada, holística, para podermos socorrer adequadamente a nossa população doente de Covid e sem ser de Covid.

Em Portugal existe o Serviço Nacional de Saúde que, na primeira vaga conseguiu dar resposta ao Covid, mas não conseguiu fazer face às outras doenças, e muito em especial às intervenções programadas, facto que, para além de ter aumentado as listas de espera no SNS, aumentou substancialmente o número de óbitos por doenças não Covid.

Se olharmos para o Sistema Nacional de Saúde holísticamente, constituído pelo Serviço Nacional de Saúde, os Serviços de Saúde Privados e os do Terceiro Sector, em minha opinião, poder-se-ia fazer face a todas as doenças dos portugueses, entre uns serviços e outros, bastando que haja vontade política para o fazer.

Claro que as ARS tinham que assumir a coordenação dessa operação, e o Estado teria de ressarcir os privados e o terceiro sector, por esse serviço, a um preço acordado. Assim haja vontade política.

Nuno Pereira da Silva
Coronel de Infantaria na Reserva

Tags

Acerca do autor

Nuno Pereira da Silva

Nuno Pereira da Silva

Coronel de Infantaria na Reserva

Adicionar comentário

Clique para comentar