EM CONTACTO COM O POVO…

-ALGUMAS GRACINHAS, PÉROLAS & NOVIDADES

 

O povo julga que um jornal regional, é um guichet para poder reclamar da Junta de Freguesia ou da CMM…

falam e desabafam…

( e se não os ouvimos, dizem logo, que somos comprados pela CMM).

– Seria de boa ideia a CMM ou a Junta estar com uma carrinha tipo escritório, ouvindo nas festas e feiras o povo…porque não? – Eles é que mandam com o voto de cada um.

Somos atacados todos os dias e sistematicamente, sobretudo por quem nada faz.

Só será até termos paciência. Mas o nosso sucesso é o resultado de trabalhar + trabalhar o que faz confusão a muita gente. E até o simples facto de irmos para a Feira (estivemos e vamos estar mais dias no Parque de São Sebastião na A.TI.TUDO) irrita muita gente , ali em directo e a cores com o povo, serve de criticas, falam a virar a cara “ainda os hei-de ver pior”.

 

 Até gostamos de estar em contacto com o grande público vendendo as nossas edições e assinaturas. Mas a nossa indiferença, e a victória do nosso sucesso é a marca indelével do trabalho que fazemos, fundamentalmente neste ano a caminho dos 50 anos, que faz a diferença daquilo que sem exageros, ou falsas modéstias, até hoje nunca tinha sido feito por qualquer Associação, ou Jornal semelhante.

O que eles não se cansam de falar:

Nada se faz pelo turismo – está tudo extasiado pelas enchentes – Mas, e o futuro?

Quem espera horas por mesas num restaurante, quando poderiam aumentar o espaço com esplanadas, permitindo mais postos de trabalho e mais entrada de impostos.

Toda a gente vê (mas parece contra-natura) existir resistência oficial contra estas situações – Só quem não vê e sem politiquices poderá tomar uma decisão a contento de todos.

Quem é mal servido, face ao preço caro estabelecido…irá voltar?

Quem não conseguiu dormir, pelo barulho, até altas horas da noite irá voltar?

Quem ao sair do hostel ou da pensão tem de pisar vomitado, fezes e garrafas partidas da noite anterior…irá voltar?

Quem assiste à revolta dos “anti-turistas”, encerramento de alguns cafés e restaurantes, ou ao mau atendimento nos restaurantes, encerramento da cozinha com horários pouco coerentes com quem está de férias…irá voltar?

Estes são alguns dos temas de reflexão que se existisse uma Associação responsável ou algum departamento dedicado verdadeiramente ao turismo, teria obrigação de reunir com os comerciantes e, antes que seja tarde, tentar já boas soluções.

Não tenham dúvidas -O futuro é HOJE.

Mas as confissões de gente anónima que quer que o nosso jornal reclame, não ficaram por aqui. Dizemos e repetimos que não temos essa importância…mas não acreditam…e nós Pimba!

-Os bolos e petiscos que se vendem nas feiras – Com tanta loja boa na Ericeira será de bom tom- não convidar essas empresas que pagam impostos todo o ano, para estarem presentes com bolos e doces regionais. É que sem fiscalização (mesmo confiando na qualidade) se houver um problema de intoxicação alimentar …O turista irá voltar? E não vai dizer que foi na Ericeira?

Também é verdade que provavelmente os BONS não quererão aceitar o convite. Mas tentar nada custa – Serão menos vozes a discordar.

Naturalmente, e na verdade, são pequenos “saberes” que podem ajudar a não haver problemas no futuro do Turismo…pois a mais pequena nódoa dará repercussões exageradissimas neste mercado.

Não podemos esquecer a Tunisia, Turquia, Marrocos, Espanha, Hungria, Bulgária, Grécia e Irlanda já não falando  na Ásia, que continua a ser o continente onde fica mais barato pagar hospedagem e alimentação. Camboja e Vietname são os países mais baratos para passar umas férias.

Vamos continuar a descrever o que foram as nossas conversas com leitores que passaram pelo nosso espaço na Feira A.TI .TUDO: que se realiza no final de cada mês, no ultimo fim de semana.

 

Texto de Helder Martins