Corrupção

Corrupção

No rescaldo das eleições no Brasil em que a corrupção foi o tema central, pareceu-nos  importante dedicarmos algum tempo a reflectirmos sobre este assunto.

A corrupção existe desde que existe o homem, e nunca acabará, pois há sempre quem esteja disposto a corromper, para ter uma qualquer vantagem e quem esteja disposto a  ser corrompido em troca de algum favor/favores, que podem ou não ser pecuniários

Em Portugal a cunha, que não é mais que uma pequena forma de corrupção, está e sempre esteve presente na nossa maneira de ser nacional, na nossa idiossincrasia. Pedir um favor a alguém bem posicionado na vida, para com base nesse favor, se ficar em vantagem em relação a outro/outros, é algo visto como normal e aceitável.

A grande corrupção no entanto,  é que realmente  nos preocupa, nomeadamente a relativa à promiscuidade entre os detentores de cargos políticos, a nível nacional ou local, e as empresas públicas,  público-privadas e /ou privadas, em que o poder político, não raras vezes,  serve  simultaneamente de plataforma de projeção pessoal e de porta giratória entre  alguns políticos eleitos,  e as referidas empresas e vice -versa, favorecendo e potenciando que se estabeleçam entre as partes, negócios de legalidade duvidosa, e de rentabilidade garantida, durante ou depois do exercício desses cargos.

Esta grande corrupção, fruto da promiscuidade entre os políticos e os mundo dos negócios, mina, corrói, e destrói a democracia por dentro, pois só nestes regimes  ao contrário dos regimes autocráticos, existe liberdade de imprensa e  livre acesso à internet para os denunciar.

Nuno Pereira da Silva

Coronel de Infantaria na reserva