CONVITE AOS JOVENS CINEASTAS

NOVARTIS, EM PARCERIA COM O INSTITUTO DO CINEMA E DO AUDIOVISUAL, DESAFIA JOVENS A FAZER UMA CURTA SOBRE ESCLEROSE MÚLTIPLA

 

  • O Prémio Curtas – Esclerose Múltipla incentiva a realização de curtas-metragens de no máximo 5 minutos que promovam o conhecimento sobre a doença

 

  • Estudantes ou amadores, entre os 18 e os 35 anos, podem submeter a sua candidatura até ao dia 29 de abril de 2016

 

  • ANEM, TEM e SPEM, as três associações que representam a comunidade de doentes em Portugal e 10 Escolas parceiras colaboram nesta 3ª edição

 

Lisboa, 05 de janeiro de 2016 A Novartis, em parceria com o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), lança hoje a 3ª Edição do Prémio Curtas – Esclerose Múltipla, uma iniciativa dirigida a estudantes das áreas do cinema e audiovisual ou amadores curiosos entre os 18 e 35 anos que queiram fazer uma curta-metragem e documentar como é viver com Esclerose Múltipla. Para além da qualidade técnica e artística, o júri vai avaliar a abordagem ao tema, o conhecimento que o filme promove sobre os vários aspetos da doença e a capacidade de sensibilizar e criar impacto na opinião pública.

 

Esta Edição contempla a possibilidade de existir um vencedor na categoria Escolha do Júri (2000€) e outro na Escolha do Público (1500€), resultado da votação feita pelo público no site do Prémio Curtas, http://www.premioemcurtas.pt ou que o vencedor nas duas categorias seja o mesmo. Neste caso ao vencedor único será atribuído o valor dos dois prémios (3500€). O Júri reserva-se no direito de atribuir, se assim se justificar, um grande prémio à curta-metragem que considerar de maior qualidade técnica e artística e que consistirá na exibição da curta-metragem numa das salas de cinema parceiras do Prémio Curtas.

 

O Prémio Curtas reforçou este ano a parceria com Escolas de cinema, multimédia e audiovisuais, nomeadamente a Escola Superior de Educação de Viseu (ESEV), a Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo (ESMAE), o Instituto Politécnico de Portalegre, o Instituto Politécnico de Leiria, a Restart, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e a Universidade do Algarve – que se juntam à Escola Superior de Teatro e cinema do Politécnico de Lisboa (ESTC), à Escola Técnica de Imagem e Comunicação Aplicada (ETIC), à Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, à Universidade da Beira Interior e à Escola Superior Artística do Porto (ESAP) na tarefa de incentivar os seus alunos a participar vendo esta como uma oportunidade de aplicação prática dos conhecimentos adquiridos.

 

As três associações representativas da comunidade de doentes em Portugal – a Associação Nacional de Esclerose Múltipla (ANEM), a Associação Todos com a Esclerose Múltipla (TEM) e a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM) – são também fortes parceiros na divulgação, abrindo as suas portas para todos os candidatos que queiram obter mais informação sobre Esclerose Múltipla e contactar a comunidade de pessoas que vive com esta doença.

 

As candidaturas estão abertas até ao final do dia 29 de abril de 2016 e devem ser feitas através do site ICA em http://www.ica-ip.pt/pt/. Os vencedores serão conhecidos por altura do Dia Mundial da Esclerose Múltipla, que se assinala a 25 de Maio.

Mais informações sobre o Prémio e Regulamento disponíveis em: http://www.premioemcurtas.pt

 

 

Sobre a Esclerose Múltipla

A EM afeta cerca de 5.000 portugueses. Em todo o mundo são mais de 2,3 milhões de pessoas com esta doença inflamatória crónica do sistema nervoso central que se manifesta em jovens adultos, entre os 20 e os 40 anos de idade, e que interfere com a capacidade do doente em controlar funções como a visão, a locomoção, e o equilíbrio. As mulheres têm duas vezes mais probabilidades de desenvolver EM do que os homens.

A EM tem um impacto significativo na qualidade de vida dos doentes e das suas famílias. Mais de 90% das pessoas com EM queixam-se de fadiga, constituindo um dos sintomas com maior impacto na qualidade de vida e produtividade dos doentes.