A rotundite aguda

Mafra e o seu concelho sofre de uma grave doença que se designa rotundite aguda, por todo o lado do concelho nascem rotundas, umas vezes redondas e centradas em relação ao eixo da via em que seguem, outras com formas estranhas,  sendo  tudo menos redondas e completamente descentradas em relação ao eixo da via.

Algumas das rotundas são ridiculamente pequenas, não sendo sequer necessário sair do eixo da via para as circundar, permitindo aos automobilistas incautos ou agressivos na sua condução, continuar a sua marcha sem fazer sequer menção de abrandar a velocidade em que seguem, pondo em perigo os outros condutores que porventura tenham já iniciado a sua marcha.

A maior parte das rotuladas, que deveriam ser agradáveis à vista são autênticos matagais de ervas daninhas crescendo em cima das horríveis  pedreiras de brita ou de pó de tijolo. Algumas delas, normalmente, colocadas nos centros das diversas localidades do Concelho,  encontram-se decoradas com umas bilhas de barro  ridiculamente pequenas e completamente “Kitchs”, vulgo pirosas, facto que muito nos surpreende, numa terra em que habitam alguns artistas plásticos, escultores, com mérito e necessidade de encomendas públicas para poderem sobreviver da sua arte.

Atualmente está a nascer uma nova rotunda frente ao novo Centro de Saúde de Mafra, que parece estar prestes a inaugurar, em que segundo as nossas fontes, vai ser colocada uma grande estátua em pedra, de autoria do escultor Rogério Timóteo, representando o São João Paulo II.

Não querendo questionar a razão de ser da representação desta figura religiosa no centro da referida nova rotunda, estamos expetantes por ver como  esta ficará frente ao novo Centro de Saúde, qual será a  sua dimensão e qual a posição em que será colocada em relação aos eixos das vias que a vão ter obrigatoriamente de circundar.

Esperamos sinceramente que o novo Centro de Saúde  possa ajudar a recuperar toda  a degradada Vila-Velha, que poderia e deveria constituir um pólo de atração turística da vila de Mafra, por ter sido aí que esta localidade nasceu, sendo em volta da vetusta  Igreja de Santo André que se encontrava o seu anterior centro histórico.

Nuno Pereira da Silva

Cor. Inf. Res.