20 ANOS de cursos de verão na Ericeira

CURSOS DE VERÃO

20 ANOS

Parece que foi ontem que tudo começou. Mas já passaram vinte anos e as fotos do 1º Curso de Verão, revelam e surpreendem, pois muita gente desapareceu, outros desistiram e as caras ainda são as mesmas, risonhas e cheias de boa vontade, mas bem mais velhinhas, em vez da renovação desejável por outras mais novas (infelizmente, não é só aqui, a carolice vai envelhecendo sem substituição).

Curioso é que a plateia mantém-se, tal como se diz dos copos, segundo quem o sente, ou meio vazia ou meio cheia.

O sucesso das actividades relacionadas com a cultura, são assim, a modos que, uma coisa inesperada – ou está tudo cheio inexplicavelmente, ou quase vazio, de todo e sem explicação. A regra é cheia de excepções.

A receita para ter Salas cheias, tal qual para o “Elixir da juventude” não existe. Sobretudo quando se faz tudo quase sem dinheiro e por carolice.

Mas um sucesso interior, e que ninguém cala, é chegar aos 20 anos desta iniciativa, trazendo à Ericeira nomes e figuras do mais alto nível, falando de matérias importantes, debatendo assuntos que nunca por cá se ousou tocar.

E mais um ano, o vigésimo, se passou pisando o palco desta vez, o Doutor Artur Anselmo (O jovem bem-falante e simpático, na altura do estado novo (ver imagem) encerrava com o seu comentário o único telejornal, como o tempo passa) 

                                                                               

 

    foto da RTP e agora na conferencia na Ericeira (2018)

e que agora é presidente da Academia das Ciências de Lisboa, o presidente do ICEA, Dr José Viegas de Freitas, a Professora Doutora Maria Garcez Ventura da Academia Portuguesa de História e também o Doutor João Vitorino em representação do Presidente da Academia de Marinha.

Muito haveria para dizer deste degrau, o vigésimo, na história do ICEA mas quedamo-nos por transcrever a ultima parte da saudação ao Almirante Rogério d’Oliveira do Doutor João Abel da Fonseca do Presidente do Conselho Superior do ICEA…

“Já o Talmude babilónico registava:
“Os bons prometem pouco e fazem muito; os maus prometem muito e fazem pouco” Que triunfe o bom humor e Camões nunca seja esquecido.”

Parabéns a todos.